26 maio 2014

Helder Miranda Comenta:
Nahim: “Aprendiz – Celebridades” perde o seu protagonista

Nahim:
“Aprendiz – Celebridades” perde o seu protagonista

É triste ver um ídolo do passado, como Nahim, estraçalhado por si mesmo na televisão e acabando com o que lhe resta da imagem. Nahim pecou pelo excesso e pela prepotência, em “Aprendiz – Celebridades”. Um ídolo que foi dos meus pais, talvez dos meus avós, fazendo um papelão desses pela televisão, mostrando-se truculento, irônico e intratável com as mulheres de seu grupo, Next, a miss Priscila Machado e Andréa Nóbrega, que seria a eliminada da vez não fosse a falta de limites de Nahim que, até então protagonista desta edição, perdeu para si mesmo. São nesses momentos que aparecem as respostas sobre os motivos de a estrela de um ídolo ter se apagado.

Eu pensei que Nahim estaria salvo até que a guerra com Christiano Cochrane não estivessem resolvidas. Pensei que ele seria finalista por agitar o programa e tirá-lo do lugar comum, mas o excesso de confiança do participante fez com que ele perdesse, em um jogo em que os adversários não representavam tanto perigo quanto ele mesmo. Christiano Cochrane cresceu nesta disputa, embora aquele dossiê apresentado em uma das salas de reuniões com Nahim fizeram com que ele perdesse todos os pontos. “Quero salvar minha pele”, ele disse. E parece repetir esse mantra sempre que vê que a própria batata está assando. Pode até chegar longe, mas temperamento assim pode até ganhar programa, mas não vai longe na vida.

“Aprendiz – Celebridades” é um jogo de traição, e há recorrentes episódios que vêm mostrando isto. O elenco parece ter sido escolhido a dedo para se expor em nome de um milhão de reais. Pouco, para tamanha exposição, em alguns casos. Há os que são inexpressivos e, por este um milhão, dão a cara a tapa, brigam, trocam acusações horrorosas e delatam uns aos outros nas sucessivas salas de reuniões. “Nahim disse que volta de qualquer sala de reunião”, disse Christiano Cochrane, cujo grau de fama se dá mais por ser filho de Marília Gabriela do que pela relevância do que fez para ser considerado uma das “celebridades” do programa. A delação de Cochrane foi confirmada por Andréa Nóbrega, que já está fazendo hora extra neste programa, e da própria Ana Moser,  que vem apresentando um comportamento exemplar.

Pedro Nercessian, que deveria ter saído no primeiro episódio,  foi o quarto eliminado – pelo que ele apresentou naquela reunião em que provou render mais em baixaria do que Nico Puig, ficou evidente que não iria longe. Kid Vinil, sempre simpático, não rendeu no programa e foi o segundo eliminado. “Mas o artista continua”, disse ele, após sua eliminação, tão inexpressiva, e doce, quanto ele foi durante sua rápida participação. 

Maria Cândida, coitada, que alardeou aos quatro ventos que estava se preparando para o programa, que reviu as edições, não mostrou a que veio. Este é o problema de se preparar demais, melhor seria pagar para ver e traçar a própria trajetória dentro de qualquer reality show. Neste quesito, Beth Szafir, tratada como “café com leite” pela equipe Fênix, como bem observou Roberto Justus, está indo longe, crescendo no programa, e ganhando a simpatia, por seu jeito despachado, mesmo que, a primeira vista, pareça insuportável. É ela quem rende boas risadas e, por aparentemente não precisar do prêmio, pinta, borda e traça uma história bacana de se acompanhar.

E é este o problema de “Aprendiz – Celebridades”. Faltam personagens bacanas, que despertem paixões, para torcer. Beth Szafir, Michele Birkheuer e Ana Moser, por enquanto, fogem deste padrão. Cada uma, à sua maneira, tem pinta de campeã. O resto ainda é ponto de interrogação. Mas é justamente por isso que foi uma pena Nahim acreditar que movimentar o programa durante o tempo todo salvasse a sua pele. Demonstrando mais defeitos que qualidades, tratando os participantes com desprezo e sempre se desculpando nas salas de reuniões em que foi salvo algumas vezes, Nahim não teve medo de se expor. 

Ou, diante de sua personalidade forte, não teve como domar o mar revolto que tinha dentro de si e ir mais longe. Prepotente, cheio de si, decadente, tão passional que chegava a ser brega, com mais erros e acertos e, principalmente, todo errado, esse, sim, era um personagem apaixonante. Mesmo que fosse para odiá-lo apaixonadamente. Diante dele, os jurados Renato Santos e Cacá Rosset e até mesmo Roberto Justus se tornam coadjuvantes. “Perderam vocês”, disse Nahim, já no taxi de volta para casa, para a alegria dos cães que o esperavam, e para a tristeza do autor deste texto. Prematuramente, o “Aprendiz – Celebridades” perde o seu protagonista.



Helder Miranda - @senhorhelder
Editor do site cultural Resenhando.com



0 comentários:

Postar um comentário

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html